Período de chuvas intensifica prevenção de dengue e leptospirose em Maceió – Alagoas

Somente no primeiro semestre de 2005, três alagoanos morreram e 22 casos de Leptospirose foram confirmados pela Secretaria Municipal de Saúde. Neste mesmo período, 303 casos de Dengue foram registrados em Maceió.

Somente no primeiro semeste de 2005, três pessoas morreram e 22 casos de Leptospirose foram confirmados pela Secretaria Municipal de Saúde. Os registros também mostram que 303 pessoas tiveram Dengue na cidade de Maceió. Para os servidores municipais, o aumento do índice de chuvas e a falta de saneamento básico são os principais causadores das doenças.

De acordo com Paulo de Carvalho da Silva, da Secretaria Municipal de Saúde, a cidade não registrou nenhuma morte ocasionada pela Dengue.

Os números oficiais da doença indicam uma redução de cerca de 70% em relação ao mesmo período do ano passado. Apenas os bairros de Chã da Jaqueira e Levada tiveram aumento no número de casos neste semestre, em relação ao mesmo período do ano passado.

Para diminuir os focos de larvas do mosquito, 100 agentes de saúde realizam visitas domiciliares nos bairros mais afetados pela doença.

A Secretaria também disponibilizou o número 3315-5457 para registrar denúncias de focos da doença.

Leptospirose

Febre, dores musculares, principalmente na região da panturrilha e manchas na pele. Esses são os sintomas da leptospirose, doença provocada por uma bactéria presente na urina dos ratos e que, somente este ano, já ocasionou três mortes em Maceió.

Para previnir o surgimento de focos da doença, a Coordenação de Endemias da capital vem intensificando ações como visitas domiciliares e o controle aos roedores.

Para o coordenador do setor de Endemias, Carlos Eduardo da Silva, o aumento dos casos de leptospirose está ligado ao índice de chuvas, que foi maior neste ano. Segundo ele, a doença ocorre com mais frequência em áreas periféricas, como os bairros da Levada, Chã de Jaqueira, Vergel e Centro.

Apenas 38 agentes de saúde realizam as visitas domiciliares para o controle de roedores na capital. A população também pode solicitar a dedetização, ligando para a Secretaria Municipal de Saúde, pelo telefone 3315-5455.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.