JBCULTURA

NOTÍCIAS, JOGOS AO VIVO E PALPITES DE FUTEBOL

ENTRETENIMENTO

Casos do ‘golpe do amor’ despencam em 2024 em SP; entenda o que está por trás





Apenas duas ocorrências do ‘golpe do amor’ foram registradas no 1º semestre de 2024; foram 25 casos no mesmo período do ano passado



O trabalho de investigação da Polícia Civil de São Paulo fez despencar os registros do chamado “Golpe do Amor”, no qual os criminosos atraem as vítimas por meio de aplicativos de relacionamento para praticar roubos, sequestros e extorsões.

Neste ano, a Delegacia Antissequestro (DAS) registrou apenas dois casos no estado. Entre janeiro e junho do ano passado, foram 25 registros. Já no mesmo período de 2022, o número total de ocorrências chegou a 58.

Polícia Civil aprimorou investigações contra as quadrilhas do “Golpe do Amor”

Segundo o delegado Fábio Nelson, uma das principais estratégias para diminuir os índices dessa modalidade criminosa foi a potencialização da investigação por meio da tecnologia. De início, o objetivo foi alcançar as “cabeças por trás do golpe”. “Falamos com as empresas responsáveis pelos sites e aplicativos de relacionamento, muitas atenderam o nosso pedido, ouviram as sugestões e fomos atuando em conjunto”, afirma.

LEIA MAIS: Divisão Antissequestro de SP: veja dicas para não cair no Golpe do Amor

Além disso, a Secretaria da Segurança Pública promoveu reuniões com representantes de bancos e encontros semanais entre as forças de segurança e o Ministério Público, com o objetivo de entender as estratégias utilizadas pelos golpistas, como explica o delegado Fabio Nelson, da Divisão Antissequestro.

“Houve reuniões com representantes de bancos e foi criada uma agenda comum com encontros semanais no Centro Integrado de Comando e Controle unindo as forças de segurança, além do Ministério Público, para entender as estratégias usadas pelos golpistas. Depois, fomos adotando práticas contra esse crime”, acrescentou o delegado.

A partir da sinergia dos órgãos, a Delegacia Antissequestro conseguiu atacar a estrutura criminosa por trás desses golpes e, consequentemente, prender a liderança das quadrilhas envolvidas. Na sequência, os “conteiros” e os “laranjas” — pessoas que recebiam o valor extorquido da vítima — também foram alvo, desarticulando toda cadeia delituosa.

No ano passado, foram 168 pessoas presas por envolvimento nos Golpes do Amor, incluindo 25 mulheres que atraíam as vítimas para os locais dos supostos encontros, onde ocorriam os sequestros. Em 2024, já são mais de 60 pessoas detidas.

Para evitar o crime, a Polícia Civil orienta os usuários de aplicativos a tomar algumas precauções, como escolher lugares públicos e movimentados para o primeiro encontro. Em todo o ano passado, houve 49 casos do “golpe do amor”.

Ainda conforme o delegado da DAS, as condenações dos envolvidos nos golpes passaram a ser mais consistente, de 30 a 40 anos, a depender da dinâmica como o crime ocorreu. Ele afirmou que, dentro do sistema criminal, isso foi uma “resposta severa” aos demais participantes do crime que ainda estavam foragidos.

A DAS de São Paulo entrou a fundo nessa modalidade criminosa e conseguiu diminuir os casos simultaneamente. Hoje, em comparação com os dois anos anteriores, as ocorrências praticamente zeraram. “Mesmo assim, ainda continuamos investigando possíveis novos casos para evitar que os bandidos se aproveitem da situação”, finalizou o delegado.